O processo de fabricação de papel reciclado: da coleta à produção de embalagens

Papel Reciclado Da Coleta À Produção de Embalagens

A produção de papel reciclado é um processo fundamental para a preservação do meio ambiente e a promoção da sustentabilidade. O primeiro passo nesse processo é a coleta de papel reciclável, que pode incluir diversos tipos de materiais, como papelão, jornais, revistas, folhas de caderno, entre outros. A coleta pode ser feita de diversas formas, desde a separação do papel em casa até a coleta seletiva realizada por empresas especializadas.

Conheça 5 passos da coleta de papel reciclado

Explore as principais etapas desse processo, desde a separação inicial do papel até sua transformação em embalagens sustentáveis. 

1. Triagem e seleção do material reciclável

Após a coleta, o material reciclável é levado para centros de triagem, onde passa por um processo de seleção. Nessa etapa, o papel é separado de outros materiais que não são recicláveis, como plástico e metal. Além disso, o papel é classificado de acordo com o tipo e qualidade, pois diferentes tipos de papel podem ser usados na produção de embalagens com características específicas.

2. Trituração e desintegração do papel

Uma vez separado e classificado, o papel sustentável é triturado e desintegrado em pequenos pedaços. Esse processo tem como objetivo transformar o papel em uma massa fibrosa, conhecida como polpa de papel. A polpa de papel é então submetida a processos de limpeza e remoção de contaminantes, como tintas e cola, para garantir a qualidade do papel reciclado.

3. Formação da folha de papel reciclado

Após a limpeza, a polpa de papel é diluída em água e é despejada sobre uma tela, onde é formada uma folha de papel reciclado. Esse processo é conhecido como formação da folha e pode ser realizado de forma artesanal ou em máquinas industriais, conhecidas como máquinas de papel. Durante a formação da folha regenerada, a água é drenada e a polpa de papel é comprimida para formar uma folha uniforme.

Confira também: 👉3 tipos de papéis para impressão flexográfica de embalagens, sacos e sacolas

4. Secagem e acabamento do papel

Após a formação da folha, o papel reciclado passa por um processo de secagem, onde é exposto ao calor para remover o excesso de umidade. Em seguida, o papel é prensado e alisado para melhorar sua qualidade e uniformidade. Dependendo do tipo de embalagem a ser produzida, o papel reciclado pode passar por processos adicionais, como revestimento e impressão.

5. Produção de embalagens a partir do papel reciclado

Finalmente, o papel reciclado está pronto para ser utilizado na produção de embalagens. Dependendo das especificações do cliente, o papel reciclado pode ser cortado, dobrado, colado e moldado para criar embalagens de diferentes formas e tamanhos. Essas embalagens de papel podem ser utilizadas em diversos setores, como alimentos, cosméticos, produtos farmacêuticos, entre outros, que contribuem para a redução do impacto ambiental e a promoção da economia circular.

O processo de fabricação de papel reciclado, desde a coleta até a produção de embalagens, é uma importante iniciativa para a preservação do meio ambiente e a promoção da sustentabilidade. Ao reciclar papel, reduzimos a demanda por matéria-prima virgem, economizamos recursos naturais e reduzimos a quantidade de resíduos enviados para aterros sanitários.

Além disso, a folha reutilizada pode ser produzida com menor consumo de água e energia em comparação com o papel convencional, tornando-o uma opção mais ambientalmente amigável. Portanto, ao escolher embalagens feitas de papel reciclado, estamos contribuindo para um futuro mais sustentável para as gerações futuras.

Embalagens Ricapel: transformando papel reciclado em qualidade excepcional

Na Ricapel, priorizamos embalagens sustentáveis feitas de papel reciclado. Coletamos, selecionamos e desfibramos cuidadosamente o papel reciclado, transformando-o em pasta de celulose. Com tecnologia de ponta, produzimos embalagens personalizadas, garantindo qualidade e desempenho excepcionais. Converse agora mesmo com nossa equipe especializada👇

Glossário de produção gráfica: domine os 11 termos mais comuns e destaque-se na indústria de embalagens

Glossário de Produção Gráfica em Embalagens Desvendando seus Termos

Entender o glossário de produção gráfica é uma parte essencial  para o melhor aproveitamento  de oportunidades na indústria de embalagens, envolvendo uma série de termos técnicos que podem parecer complexos para os não iniciados. 

Neste artigo, vamos desvendar o mundo da produção gráfica focada em embalagens, apresentando os termos mais comuns usados nesse campo. De “Boca de Palhaço” a “Clichê”, vamos explorar esses conceitos e aplicações para ajudar a entender melhor a linguagem do glossário de produção gráfica de embalagens.

11 Principais termos do glossário de produção gráfica para colocar em prática  

Explore agora os doze termos mais comuns do glossário de produção gráfica amplamente empregados na indústria de embalagens:

1. Boca de palhaço – alça Interna

O termo “boca de palhaço” é comumente empregado na produção de sacolas e embalagens que incorporam uma alça interna. Esta característica inovadora possibilita o transporte das embalagens de forma mais conveniente, eliminando a necessidade de alças externas. Vejamos um exemplo prático desse conceito:

“As sacolas reutilizáveis agora apresentam uma ‘boca de palhaço’ interna, tornando o transporte de produtos mais fácil e ergonômico.”

2. Solapa – capa na parte superior da sacola para colocar “De | Para”

A solapa é uma componente da embalagem posicionada estrategicamente na parte superior de sacolas ou caixas. Sua função principal é acomodar informações importantes, como as etiquetas “De” e “Para”, simplificando a identificação e manuseio das embalagens durante o transporte. Abaixo, confira um exemplo prático da aplicação dessa característica inovadora em embalagens:

“A solapa na parte superior das embalagens personalizadas permite que você insira as informações ‘De’ e ‘Para’, personalizando o presente de forma elegante.”

3. Saco valvulado

Um saco valvulado é uma solução de embalagem que se destaca pela presença de uma válvula especial, projetada para permitir a entrada do produto (grão/semente) e, ao final, fechar sem permitir a saída do conteúdo. Esse recurso é frequentemente utilizado em especiarias (grãos/sementes), garantindo a preservação da qualidade do produto ao mesmo tempo em que mantém a frescura. Confira um exemplo prático da aplicação desse conceito na área de embalagens:

“Os sacos valvulados são ideais para acondicionar café gourmet, preservando seu aroma e sabor únicos.”

4. Clichê

O clichê é uma placa ou molde de extrema importância na impressão flexográfica de embalagens. Sua função essencial é transferir de maneira precisa imagens ou textos para materiais de embalagem, como papel, plástico ou cartão. Veja um exemplo prático da aplicação desse termo:

“O designer encomendou um clichê personalizado para imprimir o logotipo da empresa com perfeição nas embalagens.”

5. Pantone

A Pantone é uma renomada empresa conhecida por seu sistema de correspondência de cores. Na produção gráfica de embalagens, a utilização de cores Pantone é essencial para garantir a consistência e a precisão das cores impressas, assegurando que o resultado final esteja alinhado com a visão do designer. Confira um exemplo prático da aplicação desse conceito na área de embalagens:

“Garantimos que a embalagem corresponda à identidade visual da marca, utilizando a cor Pantone 202C de forma consistente.”

6. CMYK vs. RGB

CMYK e RGB são sistemas de cores fundamentais em diferentes contextos, sendo o CMYK utilizado na impressão gráfica e o RGB na exibição digital. Por isso, preparamos este glossário de produção gráfica para uma compreensão essencial na produção de embalagens, pois impacta a reprodução das cores nos materiais impressos. Abaixo, veja um exemplo prático dessa distinção na área de embalagens:

“Antes de imprimir as embalagens, é necessário converter as imagens do formato RGB para CMYK para garantir uma representação precisa das cores.”

7. DPI – pontos por polegada

O DPI (dots per inch) é uma medida crítica que determina a resolução de imagens em impressão gráfica. Quanto maior o DPI, mais detalhada será a imagem. Nas embalagens, a escolha cuidadosa do DPI desempenha um papel fundamental para assegurar a qualidade da impressão. Veja um exemplo prático da aplicação desse conceito no setor:

“Para garantir uma impressão nítida e detalhada das embalagens, é crucial utilizar imagens de alta resolução com 300 DPI.”

8. Pré-Impressão e arte final

A pré-impressão envolve a preparação meticulosa dos arquivos gráficos antes da impressão, enquanto a arte final representa a versão concluída do design que será impresso nas embalagens. Ambos desempenham papéis essenciais na garantia da qualidade da produção gráfica de embalagens. Veja um exemplo prático dessa distinção na área:

“Após revisar cuidadosamente a arte final, o departamento de pré-impressão enviou os arquivos para a produção gráfica das embalagens.”

9. Die-Cut – corte personalizado

O processo de die-cut envolve o corte personalizado de embalagens para criar formas específicas, conferindo um toque distintivo e único à embalagem. Veja um exemplo prático da aplicação desse conceito na área de embalagens:

“Para atrair a atenção dos consumidores, as embalagens de chocolate foram personalizadas com formas únicas, utilizando o processo de die-cut.”

10. Laminação – proteção e acabamento

A laminação é um procedimento que implica a aplicação de uma fina camada de filme plástico sobre a superfície da embalagem. Isso não apenas proporciona proteção contra desgaste, mas também confere um acabamento elegante e brilhante. Veja um exemplo prático da aplicação desse conceito na área de embalagens:

“A laminação fosca aplicada nas embalagens de cosméticos não apenas protege o conteúdo, mas também confere um toque de elegância à embalagem.”

11. Verniz UV – destaque e proteção

O verniz UV é uma técnica de revestimento que utiliza luz ultravioleta para secar e endurecer rapidamente a tinta ou o verniz aplicado sobre a embalagem. Isso proporciona um acabamento brilhante e resistente, destacando elementos de design e protegendo a embalagem contra desgaste. Veja um exemplo prático da aplicação desse conceito na área de embalagens:

“A aplicação do verniz UV realçou os detalhes do design da embalagem e conferiu resistência ao desgaste durante o transporte.”

Ao conhecer esses termos comuns do glossário de produção gráfica de embalagens, você estará melhor preparado para navegar por esse mundo complexo. Esses conceitos não apenas facilitam a comunicação entre designers, impressoras e fabricantes, mas também garantem a qualidade e a eficácia das embalagens que encontramos em nossa vida cotidiana. Portanto, da próxima vez que você pegar uma sacola com uma “boca de palhaço” ou apreciar a precisão das cores em uma embalagem, saberá que está observando a produção gráfica em ação.

Aprimore seus conhecimentos com o glossário de produção gráfica da Ricapel!

A Ricapel é uma destacada líder no segmento de embalagens de papel, englobando uma variada gama de produtos de alta qualidade, como sacos e sacolas, que oferecem uma relação custo-benefício excepcional. 

Nossa dedicação incansável nos mantém na vanguarda da indústria, com investimentos contínuos em tecnologia de última geração e aquisição de talentos excepcionais. Isso nos permite assegurar que nossos clientes tenham acesso aos melhores produtos disponíveis no mercado.

Para obter mais informações ou solicitar um orçamento personalizado, não hesite em entrar em contato com um de nossos especialistas hoje mesmo. Nossa equipe de vendas terá o prazer de atendê-lo e atender às suas necessidades comerciais.

Contate um de nossos especialistas hoje mesmo e solicite um orçamento com nossa equipe comercial. Com o nosso glossário de produção gráfica, você estará ainda mais preparado para entender e aproveitar todas as vantagens que a Ricapel tem a oferecer. 👇